fbpx

Rolfing® integração estrutural

@Photo: Ron ThompsonRolfing®

Rolfing Integração Estrutural é um método holístico de trabalho corporal criado pela bioquímica americana Dra. Ida P. Rolf. Na década de 1920, ela desenvolveu uma prática que mobilizava o tecido conjuntivo, a fáscia, levando ao bem estar e ao alívio de dores.

A Dra Rolf idealizou o conceito de integrar a gravidade à terapia: essa é a principal diferença entre o Rolfing®  Integração Estrutural e outras terapias que trabalham na fáscia. O Rolfing® sempre trabalha no organismo como um todo, sem se orientar na direção de um único sintoma.

Dra. Rolf chamou a fáscia de “órgão da forma”. A fáscia é o tecido conjuntivo, também chamado de tecido conectivo, que envolve músculos e tendões, constitui ossos e ligamentos e contém órgãos (aquele tecido branco que cobre a carne que compramos no açougue). Se tirássemos todo o recheio que há no nosso corpo, sobraria uma grande teia tridimensional formada por esse tecido.

Quando devidamente estimulado, com o toque certo, o tecido se compõe de forma melhor, dando mais sustentação ao corpo. Passa-se a experimentar maior liberdade ao mover-se, sentindo alívio nas tensões das costas, ombros, pescoço – enfim, do corpo inteiro. Os movimentos serão mais eficientes porque músculos, tendões e ossos se organizarão melhor ao redor das articulações, minimizando desgastes articulares.

O Rolfing® leva em consideração o papel da gravidade na nossa saúde.

A gravidade nos afeta sempre e em qualquer lugar, criando constantemente tensões em nossos corpos. Se o corpo está desequilibrado, precisa fazer compensações para continuar ereto. Por causa disso, músculos e fáscia ficam continuamente tensos, significando gasto energético mais alto para o corpo.

Posturas desengonçadas podem significar alívio para dores depois de acidentes ou cirurgias, assim como maus hábitos posturais assimilados pelo corpo. Isso faz com que a fáscia endureça, perca elasticidade e se torne menos hidratada do que um tecido conjuntivo saudável.

Com o Rolfing®, o corpo pode se reorganizar com relação a gravidade. Idealmente, na postura ereta em pé, o centro de gravidade de todo o corpo está organizado em cima das partes inferiores. Desta forma, o ser humano precisa de pouco trabalho muscular para ficar ereto pois a integridade anatômica da estrutura está alinhada com a gravidade, que provê suporte vindo do chão. Logo, as forças agindo no corpo estão em equilíbrio.

O Rolfing ajuda a quem?

– A todas as pessoas que querem se sentir melhor no seu corpo, na sua postura, no seu movimento. Em especial para aquelas que sofrem de dores na coluna devido a má postura. Também para as pessoas que sofrem de hérnia de disco porque, com o corpo mais alongado devido ao tratamento, a coluna fica menos comprimida.

– As pessoas que trabalham o dia todo, especialmente na mesma posição, submetendo-se a estresses, não têm tempo para se cuidarem fisicamente e sentem necessidade de mais alongamento e flexibilidade.

– Pessoas que passaram por cirurgias, acidentes, ou traumas, e portanto têm seus movimentos restritos e com muitas compensações.

– Atletas de ponta, e pessoas que se exercitam sempre, que querem treinar com mais eficiência, aumentar seu rendimento, evitar desgastes, e se recuperar de traumas mais rapidamente e com menos efeitos colaterais.

– Aqueles que desejam aumentar sua sensação de bem-estar, adquirindo maior autoconhecimento por meio do aumento da sua consciência corporal.

Rolfing®: A série básica de sessões.

A Dra. Ida Rolf desenvolveu uma série de 10 sessões. Com essa série, postura e padrões de movimento vão melhorando sistematicamente.

Nas primeiras três sessões, o Rolfista® trabalha nas camadas superficiais da fáscia. As metas são aumentar a liberdade e elasticidade do tronco para a respiração ficar mais livre, liberar os movimentos da bacia, caixa torácica e dos ombros e melhorar a organização das pernas e dos pés.

Nas sessões 4 a 7 o trabalho é feito nas camadas profundas da fáscia a fim de organizar o corpo em volta de um eixo vertical chamado de “a linha”.

Nas sessões 8, 9 e 10 o corpo estará melhor alinhado como um todo, e mais equilibrado e flexível. Eventuais desequilíbrios ainda presentes são trabalhados nessas sessões. Há uma atenção maior em torno da consciência corporal do cliente para fazer com que as mudanças que ocorreram na sua estrutura durem.

É sempre recomendado, ao final da série, que a pessoa apareça anualmente, ou pelo menos a cada dois anos, para fazer de 3 a 5 sessões, assim continuando o processo de mudanças positivas no seu corpo.